nervocalm gotas

14 de abril de 2008

Um pouco por causa do circo em torno da morte dessa menina, bastante por causa das coisas ilógicas que eu vivo lendo por aí, me deu muita vontade de rever Capturing the Friedmans esses dias, e revi.

Vi esse filme no cinema assim que ele saiu, acho que em 2004, e guardei pra sempre no meu armário interno das coisas mais queridas. O que eu mais tinha guardado dele eram as cenas dos irmãos fazendo palhaçada do lado de fora do tribunal enquanto o mais novo aguardava sua sentença. Numa situação tão completamente absurda e irracional, eu entendi perfeitamente que a única coisa que eles podiam fazer era rir. Rir é a única defesa de uma pessoa racional pra não se deixar engolir pela loucura coletiva que a rodeia.

O filme partiu meu coração pela segunda vez, não só pela tragédia da família e principalmente do filho mais novo, mas acima de tudo porque a causa dessa tragédia é a morte lenta, mas facilmente observável, da razão e do bom senso. Pode ser um pouco dramático da minha parte, mas é o que eu vejo. A razão indo embora, as pessoas ficando cada vez mais melindrosas, querendo estabelecer por força que ninguém jamais seja contrariado, tentando abolir o acaso, propondo que se padronize tudo que é torto e colorido e complexo.

É claro que não estou falando só do filme agora. Mas dá muito trabalho explicar todo o resto.

...

adendo: hum, interessante. nível avançado, porém, e em inglês. só pra quem viu o filme, lembra bem dele, tem bastante interesse no caso e noutros casos parecidos. ou seja, só pra mim mesmo.

2 Comments:

  • Perfeito.
    Assino embaixo.
    Você devia ir além desse negócio de blog. Sei lá, dê um jeito,
    escreva livros!!!!

    By Anonymous Anônimo, at 15 de abril de 2008 08:51  

  • Imagina, anônimo. Já é um feito digno de nota quando eu consigo escrever quatro parágrafos seguidos. Mas obrigada.

    By Anonymous nervocalm, at 15 de abril de 2008 20:33  

Postar um comentário

<< Home